Voltar

Perda muscular: como a proteína certa impede este problema

A perda muscular é um problema comum no avanço da idade, mas também tem aparecido ultimamente em maior número por conta dos hábitos ociosos. Hoje nós vamos mostrar para você como a proteína certa é capaz de impedir esse problema.

Afinal de contas, com a diminuição dos músculos, diversos outros fatores são influenciados na nossa saúde. Sendo assim, é fundamental que você tenha certeza do que é preciso fazer para atrasar essa situação ao máximo.

Vem ver de perto o artigo que nós preparamos sobre perda muscular e como evitar essa questão na sua vida. Fique confortável e aproveite a leitura!

O que é perda muscular? 

Cada vez mais em evidência com o envelhecimento da população, a sarcopenia é caracterizada por uma perda da massa muscular que ocorre naturalmente com o avançar da idade, um processo que tem repercussões na saúde e na capacidade funcional.

As principais estratégias para prevenir e tratar a condição envolvem a prática de exercícios físicos (em especial as atividades que trabalham força muscular) e a alimentação adequada, principalmente no que concerne ao consumo de proteínas.

Um estudo denominado PROT-AGE, realizado pela European Union Geriatric Medicine Society, recomenda a ingestão proteica diária de 1 a 1,2 grama por quilo de peso para pessoas acima de 65 anos. Isso seria a quantidade desejável para manter a massa muscular em dia.

Para idosos fisicamente ativos, sugere-se que esse consumo seja superior a 1,2 g/kg por dia. Além do fator atividade física, a presença de doenças agudas ou crônicas faz aumentar a necessidade de proteína: a orientação é de 1,2 a 1,5 g/kg do peso – exceção é feita à doença renal crônica em tratamento conservador.

A quantidade de proteína ingerida nas refeições é um aspecto fundamental no controle da sarcopenia. Isso porque, em comparação com os mais jovens, os idosos necessitam de maior quantidade desse nutriente para promover o adequado estímulo à síntese proteica muscular – com a idade, há uma espécie de resistência natural à capacidade de o organismo usar recursos para construir e repor as proteínas do músculo.

Por isso, no mesmo estudo PROT-AGE, temos a recomendação de que idosos devem ter refeições contemplando de 25 a 30 gramas de proteínas. (fonte)

Atividades para evitar a perda muscular

As atividades de fortalecimento dos músculos os mantêm sempre ativos e tonificados, ajudando a preservá-los e a dar maior sustentação ao corpo. Portanto, procure praticar exercícios físicos que envolvam a força e o equilíbrio, como yoga e pilates.

Outra opção interessante é a hidroginástica, modalidade praticada em piscina aquecida e que trabalha tanto a musculatura como o sistema cardiovascular. A vantagem dela é minimizar o impacto nas articulações e evitar possíveis quedas.

Consumo para evitar a perda muscular

Além disso, um estudo da Sociedade Europeia de Medicina Geriátrica (EuGMS, na sigla em inglês) mostra que as proteínas com alto índice de leucina têm rápida digestão. Ou seja, são melhor absorvidas e, por isso, agem diretamente na restauração dos músculos.

A substância é facilmente encontrada no soro do leite, por exemplo. Vem daí a febre no consumo de whey protein entre quem pratica exercícios físicos com regularidade. A indicação também é de que o consumo da leucina seja baseado em carnes, aves e laticínios, que podem ser combinados com a suplementação

A seguir, cinco alimentos indispensáveis para prevenção da perda de massa muscular:

  • Arroz e feijão: ricos em aminoácidos que o corpo humano não produz, são essenciais para a síntese proteica;
  • Frango: como toda carne, é fonte de proteína, mas oferece o benefício de ter baixos índices de gordura saturada;
  • Ovo: rico em albumina, uma proteína essencial para auxiliar no ganho, manutenção e contração muscular;
  • Banana: figura na lista pelo alto índice glicêmico, que fornece energia de forma rápida – aliada essencial para a prática de atividades físicas.
  • Aveia: rica em proteínas e carboidratos complexos, a combinação perfeita para reposição energética e manutenção muscular.

Leia em seguida: O que é vencer para você? Um texto motivacional

Resumo: Whey Protein contra a perda muscular? 

A principal forma de evitar a perda muscular é garantir uma dieta com grande presença de proteína, e o Whey Protein (como o nome sugere) garante essa oferta. Entretanto, há inúmeros fatores que interferem na sarcopenia e não estamos falando que o Whey seja um remédio para ela.

A palavra final sempre será do seu médico responsável. Contudo, o consumo de Whey se mostra, sim, como um ótimo aliado na manutenção dos músculos.

Esperamos que o artigo de hoje tenha levantado ótimas ideias na sua cabeça. 

Quer saber mais sobre o universo da alimentação que gera resultados? Continue acompanhando o nosso blog. Estamos sempre trazendo dicas, segredos, benefícios e novidades sobre Whey Protein e produtos derivados do soro de leite.

Agradecemos a leitura e até a próxima.