Voltar

Como adquirir hábitos novos! Dicas certeiras

Você é o resultado de todos os seus hábitos. Isso já é bem claro na mente de psicólogos e psiquiatras.

Por essa razão, hoje vamos passar dicas certeiras de como desenvolver novos hábitos e quais são os melhores caminhos para que você seja capaz de nutrir hábitos saudáveis.

Então, vamos começar. Fique confortável e aproveite a leitura.

O que é um hábito?

Os hábitos são padrões automáticos de comportamento e pensamento, que envolvem diferentes tipos de funcionamento cerebral e que foram aprendidos previamente. 

Desta forma, podemos dizer que um hábito é como uma rotina de comportamento que se repete regularmente em nossas vidas e, aparentemente, de forma subconsciente. 

Por isso, muitas vezes repetimos hábitos sem perceber.

Se parar para pensar você repete praticamente as mesmas ações e movimentos todos os dias, sem perceber. Isso são hábitos e a nossa rotina é feita por eles.

  • Por exemplo, você toma banho todos os dias?
  • Em qual horário?
  • Você lembra qual é a parte do corpo que você lava primeiro?
  • E o que vem depois?

Tudo isso são hábitos e, às vezes, você nem se dá conta de que faz isso ou mesmo porque faz.

Internalize os motivos para desenvolver os hábitos

É aquela coisa: autoavaliação é um exercício absolutamente saudável, mas que não surge naturalmente.

A dica para quem ainda não está acostumada a olhar para dentro de suas próprias vontades é buscar se olhar como se você fosse uma amiga sua e, a partir daí, fazer perguntas e buscar respostas.

Se o hábito que você quer criar é o de fazer caminhadas diárias pelo seu bairro, por exemplo, identifique os motivos que levam você a querer isso (saúde, dar uma arejada na mente, melhorar a circulação sanguínea, tomar sol) e comece a pensar no hábito da caminhada como algo que já faz parte da sua vida.

Traga para o dia a dia

Identificar os componentes dos seus loops (deixa, rotina e recompensa) é essencial para conseguir mudar ou criar bons hábitos.

Digamos que você tenha o hábito de sair da sua mesa para conversar com colegas de trabalho e perceber que ele já faz parte da sua rotina.

Agora pergunte-se:

  • Qual é a deixa para que isso aconteça?
  • O que o impulsiona?
  • É o tédio?
  • A necessidade de se comunicar?
  • Ou apenas a vontade de fazer uma pausa entre uma tarefa e outra?
  • E qual é a recompensa?
  • Socializar?
  • Mudar de ambiente?
  • Se distrai por alguns momentos?

Identificando seus padrões de comportamento fica mais fácil evitar gatilhos que sejam prejudiciais e moldar a criação de bons hábitos por meio de recompensas que sejam valorizadas por você.

A trinca secreta dos novos hábitos pela manhã

Sono:

Organize seu sono. Ajustar seu despertador pode ser um caminho tanto para mais quanto para menos.

Se puder, invista mais 30 minutinhos na cama, para acordar mais revigorado.

Agora, se você tem um dia cheio pela frente, que tal tentar levantar um pouco mais cedo? Vai fazer toda a diferença!

Despertador longe da cama:

Para não virar um refém do botão “soneca”, tente mudar de lugar o seu despertador. Tire-o da mesinha ao lado da cama.

Desse jeito, quando acordar você vai precisar se levantar e se afastar da cama para desligá-lo. Assim fica mais fácil de despertar, né?

Frases para si:

Incorpore no seu dia a dia palavras de positividade para si. Elogie-se, faça uma lista todos os dias com 3 coisas que você gosta sobre si. Esforce-se neste sentido.

Elogiar-se te mostra pontos positivos sobre a sua pessoa e cria um hábito de autopercepção. Que é ótimo catalisador para novos hábitos.

Para as suas senhas, você também pode colocar frases positivas. Ter que digitá-las diariamente vai fazer diferença no seu dia. Mas não se esqueça: se sua senha escolhida for “soufeliz”, tente criá-la utilizando caracteres especiais, números e letras maiúsculas e minúsculas. Tente algo como S0uF1eL1z

Pare de pensar no Tudo ou Nada!

Sentir-se oprimido ao tentar mudar um comportamento tende a estimular o pensamento de “tudo ou nada”: “eu vou focar em mudar, e se eu falhar, isso significa que eu simplesmente não posso fazer isso.”

O pensamento de “tudo ou nada” tem grande impacto em nossa psique.

Ele nos aprisiona em situações de derrota.

Até mesmo quando ganhamos ou superamos uma situação, pois a mudança não se sustenta.

Agora imagine quando ocorre uma perda.

Se realmente quisermos mudar hábitos, uma das primeiras coisas que temos a fazer é tirar o “tudo ou nada” da mesa. Aceite que para mudar é preciso ir mudando aos poucos. Não existe tudo ou nada.


Tenha metas fáceis de atingir e vá aos poucos. Assim, pode ter certeza que você vai conquistar novos hábitos.

Gostou das dicas de hoje? Então, continue acompanhando o nosso Blog. Estamos sempre trazendo segredos e novidades sobre alimentação que geram resultados.


Agradecemos a leitura e até a próxima!

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência e recomendar conteúdo de seu interesse. Você pode concordar ou discordar com a coleta de cookis. Para mais informações veja a nossa Política de Privacidade.