Voltar

Soro de Leite: a história deste elemento tão importante no mercado moderno

De descarte da indústria leiteira, até suplemento indispensável para quem busca alto desempenho nos treinamentos. Hoje nós vamos explicar para você a importância do soro de leite na sua vida e como os esforços de diversos setores da indústria trouxeram este produto para dentro da sua casa.

Este é um daqueles artigos gostosos. Vamos contar uma história e será uma pequena viagem no tempo. Ao mesmo tempo que queremos traçar paralelos para mostrar como o seu desempenho nos treinamentos tem muito a ver com a insistência de diversos produtores em busca de soluções mais eficazes.

Sendo assim. Vamos começar. 

Veja também: Alimentação animal: detalhes sobre a produção

Do descarte dos queijeiros até o Whey Protein: como surgiu o soro de leite

Você já sabe que o  Whey Protein é um suplemento nutricional febre nas academias. O que talvez não sabia, é que ele está mais próximo do campo do que se imagina. 

Apesar do nome em inglês, essa substância em forma de pó adicionada em bebidas, biscoitos e barrinhas, é feita do famoso soro do leite, um subproduto valioso da fabricação de queijos. 

Até pouco tempo atrás esse soro era visto no Brasil como um resíduo industrial, algo que era descartado pelo queijeiro, Como disse em entrevista, Caroline Mellinger, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos.

O soro do leite sempre foi conhecido para a alimentação animal, principalmente de porcos, mas nas duas últimas décadas passou a ser utilizado na fabricação de bebidas lácteas, como o Whey Protein.

Este é o soro do leite processado, numa versão concentrada. O que valorizou o produto. O Whey Protein está ajudando a tornar o soro do leite popular. 

Leia mais: Dúvidas sobre Whey Protein

Como funciona a produção do soro de leite

Em um dos dados criados pela Associação Brasileira das Indústrias de Queijo (Abiq), o Brasil produz cerca de 850 mil toneladas de queijo por ano. Dessas, estima-se que para cada quilo de queijo produzido são gerados oito litros de soro.

Então, a tendência mostra o potencial que movimenta os fabricantes. Por exemplo: A Sooro iniciou suas atividades processando 150 mil litros de soro por dia, isso em 2001. Pouco mais de uma década depois, nossa capacidade instalada já era superior a 1,2 milhão de litros.

Se antes o soro era visto como um problema e não como um produto de alto nível. Para se ter uma ideia, a indústria importava o soro em pó, enquanto o queijeiro jogava a matéria prima fora. 

Isso mudou na mesma medida que o soro nacional passou a ser valorizado e ganhou qualidade. Por exemplo, no começo dessa década nossos números foram de 16,7 mil toneladas de sólidos do soro do leite, com faturamento de R$ 57,5 milhões. 

Além disso, ainda em 2011, com investimentos de R$ 20 milhões em tecnologia, demos pontapé inicial na produção brasileira de Whey Protein Concentrate, produto que representou 1,2 mil toneladas do total fabricado pela empresa no ano passado.

Tem mais, existe um movimento certo para a substituição do leite em pó pelo soro em pó na receita de pães, biscoitos e sorvetes. Já que o ingrediente também é nutritivo e apresenta um bom desempenho no processo industrial.

Leia também: Conheça seu próprio corpo: dicas para melhorar o desempenho

A História do soro de leite no Brasil caminha ao lado da nossa história

Aqui na Sooro a coleta do soro do leite também acontece in natura, daquele produzido por queijeiros. A matéria-prima passa por um processo de filtragem e secagem. Cerca de 94% do soro é composto por água, que é tratada e retorna para o meio ambiente, enquanto os sólidos vão compor o produto final. 

É bom para as duas partes, pois os queijeiros se livram de um problema ambiental, e não se preocupam com o descarte do material. 

No ano de 2013 a Sooro produziu mais de 18 mil toneladas de soro em pó e faturou R$65 milhões, um crescimento de 13% se comparado com o ano anterior.

Talvez a data não tenha tanta importância, vista de hoje. Mas basta lembrar que apenas 12 anos antes (em 2001), o soro de leite era visto como um problema ambiental e até um entrave na vida dos queijeiros do país. 

Como o Brasil trabalha o soro de leite

O Sindicato das Indústrias de Laticínios de São Paulo (Sindileite), estima que o Brasil já tenha capacidade para produzir mais de 115 mil toneladas de soro em pó por ano. O maior empecilho para que esse mercado cresça nacionalmente é a tecnologia. O soro é muito perecível, precisa ser refrigerado, e transportado de maneira correta. 

Temos consciência de que o setor está crescendo acima de 10% ao ano.

Saúde no Verão: como escolher o melhor horário para treinar

Resumo: olhar para o passado nos dá forças para construir o futuro

Tivemos um longo caminho até que o soro de leite nacional estivesse em produtos de qualidade. Para que você possa adquirir o seu Whey Protein por um preço justo e poder treinar com um produto eficaz, muito trabalho foi feito.

Agora, olhamos para os próximos anos sempre pensando em expansão e qualidade. São as nossas lutas.

Esperamos que o artigo de hoje tenha mostrado para você o quanto nós somos apaixonados pelo o que fazemos e por qual razão a indústria sempre precisa olhar para o futuro e investir em inovação. 

É a inovação que nos trouxe até aqui e será ela que continuará guiando as empresas do futuro.

Gostou do artigo de hoje? Continue acompanhando o nosso blog. Temos dicas incríveis sobre alimentação de alta performance.

Agradecemos a leitura e até a próxima.