Voltar

Coisas que ninguém te fala sobre treinar no sol

Treinar ao sol, praticar exercícios físicos no ápice do verão, gastar energias durante o calor. Essas são atividades que, se você não tiver as informações corretas, estará colocando a sua saúde em risco.


Por isso, hoje trouxemos um artigo completinho falando tudo o que ninguém nunca te falou sobre treinar ao sol.


Então, vamos lá. Fique confortável e aproveite a leitura! 

Saiba mais: Qual é o Whey certo para você?

Efeito da Luz do Sol na pele!

A luz do sol, especialmente os raios UVA e UVB, podem causar queimaduras, envelhecimento precoce, danos oculares, debilidade do sistema imune, reações fotoalérgicas e fototóxicas, inclusive câncer de pele.

Os médicos e dermatologistas cada vez mais advertem sobre a forte correlação entre a frequência de câncer de pele e a extensão de dano ao DNA, lembrando-nos que mais de 90% dos cânceres de pele são consequência da exposição ao sol.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência de câncer de pele no Brasil é altíssima: cerca de 25% dos tumores malignos registrados por aqui são os que afetam a pele.

Sabe-se exaustivamente que o melhor tratamento é a prevenção através de proteção solar.

Tire suas dúvidas: Quanta proteína você precisa consumir por dia?

Entenda a diferença entre UVB e UVA

UVA e UVB são dois tipos de raios ultravioleta nocivos à saúde. O UVB pode provocar queimaduras e câncer de pele, além de ser responsável por alergias.

Os raios UVB penetram superficialmente na pele, causando vermelhidão e sensação de ardência.

Os raios UVA são responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele e também podem causar câncer.

Para se ter uma ideia, um histórico de cinco queimaduras solares por década pode aumentar em cerca de três vezes o risco de desenvolver câncer.

Na praia, onde a exposição ao sol é maior, os cuidados devem ser redobrados. Os dermatologistas sugerem a escolha do fator de 30 a 50.

Deve-se reaplicar o produto a cada duas horas, após o contato com a água ou suor excessivo.

Chapéu, óculos e guarda-sol ajudam na proteção, mas não são suficientes.

É importante lembrar que as nuvens não bloqueiam os raios nocivos e, se estiver na praia, os raios são refletidos pela areia e pela água.

Continue acompanhando o arquivo que você vai entender quando acontece o UVB e quando acontece o UVA.

Leia em seguida: Whey Protein e diabetes: entenda a relação entre os dois e mantenha sua saúde

Raios UVB

Os raios UVB apresentam variações de intensidade durante o dia e são mais intensos ao meio-dia.

Eles estimulam a produção de melanina, pigmento responsável pelo bronzeado prolongado, e também estimulam a regeneração celular, produzindo assim uma epiderme mais espessa.

Pode gerar queimaduras e danificar a pele, especialmente durante o verão e em altitudes elevadas.

Mesmo penetrando em menor profundidade, geram  radicais livres em todos os níveis da epiderme.

UVB afetam o DNA celular mais que os raios UVA e são a causa principal de danos.

Os raios UVB podem alcançar até as camadas mais profundas das células epidérmicas e são a causa principal de lesões solares agudas

Tipos Queimaduras:

  • Dano direto ao DNA celular e câncer de pele
  • Dano ocular e retiniano
  • Fotossensibilidade provocada por medicamentos

Raios UVA

Dos raios ultravioleta que atingem a superfície da terra, 95% correspondem aos raios UVA. 

Tratam-se de raios extremamente resistentes, capazes de atravessar nuvens, vidros e até a pele, atingindo a camada mais profunda. Os radicais livres produzidos, por sua vez, danificam o DNA das células e modificam as fibras de colágeno e elastina, que são estruturas de suporte da pele.

São os Raios UVA que queimam a pele, mesmo quando você está embaixo do guarda-sol. 

Mas não para por aí: além do fotoenvelhecimento, os raios invisíveis que atingem o nosso corpo e rosto também podem causar:

  • ressecamento da pele;
  • reações cutâneas (alergias que causam vermelhidão, comichão e erupção polimorfa à luz);
  • alteração no pigmento da pele (manchas escuras ou melasmas);
  • câncer de pele.

Os efeitos dos raios UVA são indolores, discretos e cumulativos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a exposição extrema a esses raios aumenta em até 75% o risco de desenvolver câncer de pele.

Para se proteger dos raios UVA você deve usar hidratantes e cremes para a pele. São raios que atravessam o tecido das roupas e penetram até mesmo nos cômodos da casa. Por isso, sua proteção é totalmente diferente dos raios UVB.

Resumo: para se proteger dos raios UVB você tem que usar protetor solar, ou evitar o sol do pico (entre às 10h e às 14h para o verão). Já para se proteger contra os raios UVA você deve hidratar-se, hidratar a pele e manter uma rotina saudável.


Gostou? Então, continue acompanhando o Blog. Estamos sempre trazendo dicas, notícias e novidades sobre o universo das marcas fortes. Agradecemos a leitura e até a próxima!

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência e recomendar conteúdo de seu interesse. Você pode concordar ou discordar com a coleta de cookis. Para mais informações veja a nossa Política de Privacidade.